Novo Tempo, Limpeza do Templo: Jesus, o Novo Templo

Jesus-expulsa-vendilhões-do-Templo-Chartres_Saint-Aignan803Quem poderá julgar o ser humano? 
Aquele que o criou; Aquele que sabe de que o ser humano é capaz; Aquele que vislumbra, até na calada da noite e na solidão do deserto, tudo aquilo que os humanos podem fazer quando caminham sozinhos ou agem na multidão.
Então, o Senhor que nos cria e que nos dá o alimento é Aquele que também nos disciplina. E o povo sabia muito bem que o Templo, a Tenda do Senhor, é lugar de oração e de louvor.
Quantos, ontem e hoje, aqui e ali, aproveitaram-se da santa fé do povo para fazer da Casa do Senhor um negócio rentável, economicamente ?
Bois, ovelhas, pombas, livros, medalhas, imagens e tantos outros itens são associados à boa fé do povo que vai ao Templo em busca de bênção, graça e da glória eterna de Deus.
Onde Jesus encontrou fibras para fazer uma chibata? Ele só queria disciplinar, manifestar e ensinar o necessário zelo por tudo o que é santo. O zelo pela casa do Senhor o consumia!… E Jesus estava só iniciando as manifestações das novidades do Reino de Deus. Fibras para a chibata ele as tinha ali mesmo atadas aos animais.
Em Caná da Galiléia, Jesus foi o vinho novo que precisava ser guardado em odres novos. Um vinho milagroso que tudo renova e por isso arrebenta odres velhos. Fazer comércio na casa de Deus nunca foi permitido. Comércio está ligado à face de César na moeda. Deus é Santo e fonte de santidade. Por isto, um chicote é levantado como a serpente, no deserto, e como a cruz, no calvário. Para que todo aquele que nele fixar o olhar, atar o coração, seja salvo, curado, santificado.
_Querem saber por que estou quebrando tudo?… Precisam de uma prova de que tenho autoridade para colocar ordem nesta casa?… Posso mostra-lhes um sinal: Sou o Templo Novo. “Destruí este templo, e em três dias eu o levantarei”.
Se os estou disciplinado é porque tenho algo muito melhor para lhes oferecer. Trago-lhes uma grande bênção, um vinho novo extasiaste, a oportunidade de ressurgir para um vida eterna gloriosa.
Esqueçam o comercio de gado, livros e medalhas. Deixem isto aos comerciantes. Venham comigo para os braços da Santa Cruz. Verão como o Pai é bondoso e quão grandioso é o banquete eterno que os espera! Eu sou aquele que É. Sou porta das ovelhas. O verbo que se fez carne, o Filho Unigênito do Pai que veio morar entre voz.


Analista de Sistemas. Filho de Pedro Furtado Leite


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *