QUESTÃO 25: PARA QUE PRECISA A FÉ DE DEFINIÇÕES E DE SÍMBOLOS?

SEGUNDA SEÇÃO
O Credo Cristão
Youcat Responde: “Na fé, o que está em jogo não são palavras vazias, mas a realidade. Na Igreja, cristalizam-se ao longo do tempo símbolos de fé, com ajuda dos quais contemplamos, expressamos e aprendemos, transmitimos, celebramos e vivemos essa realidade. [170-174].”

E continua: “Sem formas densas dilui-se o conteúdo da fé. Por isso, a Igreja dá muito valor a determinadas proposições, cuja expressão foi alcançada, na maioria das vezes, com muita dificuldade, para proteger a mensagem de Cristo de equívocos e adulterações. Os símbolos de fé são igualmente importantes na medida em que a fé da Igreja é traduzida para diferentes culturas, devendo manter-se na sua essência.

REFLEXÕES

A questão é: “para que precisa a fé de definições e de símbolos?”Símbolos diversos e nacionais:
Definições e símbolos fazem parte da história humana, creio que, por uma razão muito simples e determinante: o ser humano é um ser inteligente que aprendeu a estender sua memória para fora do si, cristalizá-la em definições, formas e cores. Isto deve significar, especialmente, colocar-se a serviço do bem comum.
Dentre os inúmeros e importantes símbolos criados pela sociedade humana, convém destacar os seguintes: a bandeira das Organização da Nações Unidas, o hino nacional brasileiro e o pavilhão auriverde do Brasil.
Azul e o branco fazem o símbolo oficial das Nações Unidas. O emblema consiste numa projeção azimutal equidistante do mapa mundo (menos a Antárctica) centrada no Pólo Norte, rodeada de ramos de oliveira. Os ramos simbolizam a paz e o mapa múndi, todos os povos da terra. (matéria livre, internet).
“A Organização das Nações Unidas foi oficialmente fundada logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, a 24 de Outubro de 1945, em São Francisco, Califórnia, por 51 países. Teve como precursora a Sociedade de Nações (ou “Liga das Nações”), organização concebida em circunstâncias similares durante a Primeira Guerra Mundial e estabelecida em 1919, em conformidade com o Tratado de Versalhes, “para promover a cooperação internacional e conseguir a paz e a segurança”.
Em 2006 a ONU possuia representação de 192 Estados-Membros – cada um dos países soberanos internacionalmente reconhecidos, exceto a Santa Sé, que tem qualidade de observadora, e países sem reconhecimento pleno (como Taiwan, que é território reclamado pela China, mas de reconhecimento soberano por outros países).
Um dos feitos mais destacáveis da ONU é a proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948.
História: A ideia das Nações Unidas foi formalmente elaborada na declaração, firmada durante a Segunda Guerra Mundial, na conferência de Aliados celebrada em Moscou em 1943. O então presidente dos Estados Unidos da América, Franklin Delano Roosevelt, sugeriu o nome de “Nações Unidas” a partir de conversas preliminares que tivera com outros líderes, como Churchill, já a partir do natal de 1941.
A ONU começa a sua existência a 24 de Outubro de 1945, depois da Carta ter sido ratificada pelos então cinco membros permanentes do Conselho de Segurança (República Popular da China, França, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, Reino Unido e Estados Unidos da América) e pela grande maioria dos outros 46 membros.
Objetivos:
  •  Manter a paz mundial
  •  Proteger os Direitos Humanos
  •  Promover o desenvolvimento econômico e social das nações
  •  Estimular a autonomia dos povos dependentes
  •  Reforçar os laços entre todos os estados soberanos
Idiomas Oficiais: A ONU utiliza 6 línguas oficiais: árabe, chinês, espanhol, francês, inglês e russo. Quase todas as reuniões oficiais são traduzidas simultaneamente para estas línguas.
Conselho de Segurança: O Conselho de Segurança é constituído por quinze Estados, sendo cinco membros permanentes (Estados Unidos da América, a Federação Russa, França, o Reino Unido e a República Popular da China) e dez eleitos pela Assembléia Geral, por um período de dois anos (art. 23º, da Carta das Nações Unidas). Sua principal função é garantir a Segurança Coletiva e a Manutenção da Paz Mundial. Para cumprir tal objetivo, o Conselho pode lançar mão dos instrumentos previstos no Capítulo VI, que trata dos meios pacíficos de solução de controvérsias, da Carta das Nações Unidas (ou Carta de São Francisco) ou do Capítulo VII, meios não pacíficos de solução de controvérsias, do mesmo documento. Presentemente (2009), os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança são os únicos que têm poder de veto nas decisões
Tribunal Internacional de Justiça: O Tribunal Internacional de Justiça é o principal órgão judicial da ONU e o seu Estatuto é parte integrante da Carta (art. 92º da Carta). O Tribunal, sediado em Haia, está aberto a todos os membros das Nações Unidas e àqueles que, não sendo membros, aderiram ao Estatuto (art. 93º da Carta).”
(Pág./ONU/ Brasilhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Organização_das_Nações_Unidas).

Símbolos da Pátria:

 

      A Bandeira e seu Hino:

Podemos dizer que o verde, o amarelo, o azul e o branco são cores do povo brasileiro. Estamos tão afeiçoados a elas que não podemos, sequer, imaginar o país sem estas quatro cores.
A bandeira espelha nosso espaço celestial, nosso lugar no planeta e nossas riquezas territoriais.

O hino à bandeira constitui elemento de formação da nossa identidade como povo livre.

Hino à Bandeira Nacional:
(Letra: Olavo Bilac; Música: Francisco Braga).
Salve, lindo pendão da esperança,
Salve, símbolo augusto da paz!
Tua nobre presença à lembrança
A grandeza da Pátria nos traz.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Em teu seio formoso retratas
Este céu de puríssimo azul,
A verdura sem par destas matas,
E o esplendor do Cruzeiro do Sul.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Contemplando o teu vulto sagrado,
Compreendemos o nosso dever;
E o Brasil, por seus filhos amado,
Poderoso e feliz há de ser.
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Sobre a imensa Nação Brasileira,
Nos momentos de festa ou de dor,
Paira sempre, sagrada bandeira,
Pavilhão da Justiça e do Amor!
Recebe o afeto que se encerra
Em nosso peito juvenil,
Querido símbolo da terra,
Da amada terra do Brasil!
Hino Nacional Brasileiro:
(www.suapesquisa.com/religiaosociais).
 (http:// www.brasilescola.com/ historiabrasil)
I
OUVIRAM DO IPIRANGA AS MARGENS PLÁCIDAS
DE UM POVO HERÓICO O BRADO RETUMBANTE,
E O SOL DA LIBERDADE, EM RAIOS FÚLGIDOS,,
BRILHOU NO CÉU DA PÁTRIA NESSE INSTANTE.
SE O PENHOR DESSA IGUALDADE
CONSEGUIMOS CONQUISTAR COM BRAÇO FORTE,
EM TEU SEIO, Ó LIBERDADE,
DESAFIA O NOSSO PEITO A PRÓPRIA MORTE!
Ó PÁTRIA AMADA,
IDOLATRADA,
SALVE! SALVE!
BRASIL, UM SONHO INTENSO, UM RAIO VÍVIDO
DE AMOR E DE ESPERANÇA À TERRA DESCE,
SE EM TEU FORMOSO CÉU, RISONHO E LÍMPIDO,
A IMAGEM DO CRUZEIRO RESPLANDECE.
GIGANTE PELA PRÓPRIA NATUREZA,
ÉS BELO, ÉS FORTE, IMPÁVIDO COLOSSO,
E O TEU FUTURO ESPELHA ESSA GRANDEZA.
TERRA ADORADA,
ENTRE OUTRAS MIL,
ÉS TU,BRASIL,
Ó PÁTRIA AMADA!
DOS FILHOS DESTE SOLO ÉS MÃE GENTIL,
PÁTRIA AMADA,
BRASIL!
II
DEITADO ETERNAMENTE EM BERÇO ESPLÊNDIDO,
AO SOM DO MAR E À LUZ DO CÉU PROFUNDO,
FULGURAS, Ó BRASIL, FLORÃO DA AMÉRICA,
ILUMINADO AO SOL DO NOVO MUNDO!
DO QUE A TERRA MAIS GARRIDA,
TEUS RISONHOS, LINDOS CAMPOS TÊM MAIS FLORES;
“NOSSOS BOSQUES TEM MAIS VIDA,”
“NOSSA VIDA” NO TEU SEIO “MAIS AMORES”.
Ó PÁTRIA AMADA,
IDOLATRADA,
SALVE! SALVE!.
BRASIL, DE AMOR ETERNO SEJA SÍMBOLO
O LÁBARO QUE OSTENTAS ESTRELADO,
E DIGA O VERDE-LOURO DESSA FLÂMULA
PAZ NO FUTURO E GLÓRIA NO PASSADO.
MAS, SE ERGUES DA JUSTIÇA A CLAVA FORTE,
VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA,
NEM TEME, QUEM TE ADORA, A PRÓPRIA MORTE.
TERRA ADORADA,
ENTRE OUTRAS MIL,
ÉS TU, BRASIL,
Ó PÁTRIA AMADA!
DOS FILHOS DESTE SOLO ÉS MÃE GENTIL,
PÁTRIA AMADA,
BRASIL!
Conclusão:
A ONU voltada à promoção do bem estar humano: A ONU, seu pavilhão azul e branco, seu Conselho de Segurança e seu Tribunal Internacional de Justiça, é importante por suas ações em benefício dos povos da terra, como:  promoção da cooperação internacional e manutenção da paz e da segurança; proteção dos direitos humanos; promoção do desenvolvimento econômico e social das nações; estímulo à autonomia dos povos dependentes e ao estreitamento dos laços entre todos os estados soberanos.
A proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948, constitui uma das ações mais destacáveis da organização, em favor da humanidade.
Bandeiras e hinos do Brasil: representam o nosso ímpeto de unidade, nossa força patriótica, anseio de pertença à pátria, manifestações de sentimento nacionalista.
Todo este instrumental deve estar a serviço da vida  material do ser humano, neste mundo, para honra e glória do Criador de todas as coisas.
Símbolos do Cristão: Como diz o Youcat, “Na fé, o que está em jogo não são palavras vazias, mas a realidade. Na Igreja, cristalizam-se ao longo do tempo símbolos de fé, com ajuda dos quais contemplamos, expressamos e aprendemos, transmitimos, celebramos e vivemos essa realidade. [170-174].”
São símbolos destinados à edificação e preservação da fé entre os povos. Fé que tem por objetivo conduzir o ser humano ao seu lar de origem, à Pátria celestial.
Portanto, são instrumentos voltados à santificação espiritual dos seres humanos, para honra e glória d’Aquele que tudo criou.
Assim procedendo, poderemos orar com fé, alegria e confiança e, também, com fervor patriótico, sabendo que Deus dá segurança e paz na terra aos homens de boa vontade e, também, a salvação eterna prometida por Jesus Cristo aos que fazem a vontade de Seu Pai.Então, digamos com fé!:
– “Creio em Deus Pai Todo Poderoso, Criador do céu e da terra!…”(Símbolo dos Apóstolos).

– Ó Pátria amada, idolatrada, salve! salve!

– “Brasil, um sonho intenso, um raio vívido de amor e de esperança à terra desce, se em teu formoso céu risonho e límpido, a imagem do cruzeiro resplandece!…” (hino nacional).

Digamos também, com alegria!: “Salve!… Ó Rainha, mãe de misericórdia!… Vida, doçura e esperança nossa!…” (saudação a Santíssima Virgem Maria).

“Salve, lindo pendão da esperança!… Salve, símbolo augusto da paz!…” (saudação à bandeira do Brasil).
A vós bradamos os degredados filhos de Eva. (saudação a Santíssima Virgem Maria).
Recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil. (saudação à bandeira do Brasil).
Verás que um filho teu não foge à luta, nem teme, quem te adore, a própria morte.
Dos filhos deste solo és mãe gentil, pátria amada, Brasil!”. (trecho do hino nacional brasileiro).
E, rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo! Aquelas benditas promessas!… Amém! (saudação a Santíssima Virgem Maria).Também, poderemos louvar a Deus nestes versos:

Brasil, Pátria amada provisória, em ti estamos passando uma temporada.
Deus Pai e Criador é a nossa Pátria amada definitiva e idolatrada.
Jesus crucificado é o raio vívido de amor e de esperança que, do céu, à terra desce.
E, num cruzeiro, seu corpo estendido é a própria presença do Pai que, a um só tempo, invoca e resplandece.Salve Maria, Rainha e Mãe da misericórdia que, recebendo de Deus, o Menino Jesus nos trás!
És o lindo pendão da esperança e o símbolo augusto da Paz!
Recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil!
Dos filhos deste solo, és o consolo, és Mãe gentil.
Salve Nossa Senhora Aparecida
Rainha e Padroeira do Brasil!…



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *