QUESTÃO 264 – YOUCAT: COMO É AMEAÇADO O MATRIMÔNIO?

(Em edição)

YouCat responde: “O que realmente ameaça o Matrimônio é o pecado; o que o renova é o perdão; o que o fortalece é a oração e a confiança na presença de Deus.” [1606-1608].

E continua: “O conflito entre os homens e as mulheres que por vezes leva ao ódio mútuo, especialmente no casamento, não é um sinal de incompatibilidade dos sexos; também não existe uma disposição genética para a infidelidade, nem um especial impedimento psíquicos para uniões perpétuas. Muitos casamentos são danificados por uma carente cultura de diálogo e de atenção. A isso se acrescentam problemas financeiros e econômicos. Um papel decisivo, porém, tem a realidade do pecado: o ciúme, o despotismo, a polémica, a avidez, a infidelidade e outras forças destruidoras. Por isso, fazem essencialmente parte do casamento o perdão e a reconciliação, mesmo através da Confissão.” 

DSC07731

Matrimônio ameaçado pelo pecado: Página 152 – YouCat

REFLEXÃO

Pecado, perdão, oração e confiança em Deus: eis o caminho de todo cristão para preservar o casamento. 

Não há dúvida, o pecado em todas as suas matizes, é o grande vilão, inimigo número um do Matrimônio. Como fugir do pecado ou de suas consequências, adquirir forças para superá-lo e pôr ordem na casa? Perdão é o primeiro grande passo a ser dado pelo casal; o perdão rompe as amarras de Satanás e abre caminho ao diálogo conjugal e, com Deus, por meio de fervorosa e confiante oração. A relevância do perdão se concebe, principalmente, ante as dificuldades de conformação das diferenças culturais do casal que, geralmente, se agravam com a falta de diálogo. Diálogo amistoso geralmente é o único caminho abençoado a ser trilhado por todo casal, bem intencionado, que quer realmente uma vida edificante, de amor.

Matrimônio é sinal de aliança, traduz a disposição mútua de cooperação permanente e até, de sacrifício, a que o casal se deve sujeitar, com vista ao bem recíproco e para edificação geral da família. Por isto, o Matrimônio deve ser precedido de reflexão intensa e sensata dos aspirantes; reflexão que precisa incluir Deus, O amor maior que edifica e salva.

A Palavra de Deus vê a aliança matrimonial – homem x mulher –  como a aliança de Deus com o Seu povo: algumas regras básicas são necessárias, e pode até haver exigência de sacrifício, para consolidação da aliança, ou como prova de fidelidade, de amor exclusivo, exigente.  

Quem não conhece a história de Abraão lidando com a expectativa do sacrifício do filho Isaac, no monte Moriá, máxima prova de fidelidade a Deus e à Sua aliança?… Também, um cônjuge poderá achar-se com o direito, e até, o dever, de experimentar o grau de fidelidade do outro, na caminhada pelas montanhas da vida, se Deus, assim, o permitir. Certamente, tudo acabará bem; Deus haverá de mostrar, mesmo que, na última hora, uma ovelha abençoada para concretizar o sacrifício, o ofertório, holocausto. E, por acaso, não foi o próprio Deus em Seu amor infinito que entregou-se ao sacrifício extremo, em N. S. Jesus Cristo – Cordeiro Imaculado –  estabelecendo, assim, a Nova e Eterna Aliança com Seu povo amado?

É verdade!… Nosso Deus é admirável e maravilhoso!… E, é claro, também, magnânimo, gerenoso, na retribuição de bênçãos sobre bênçãos, ao servo fiel, e espera que também nós saibamos ser gratos uns aos outros, no Matrimônio ou fora dele.  

Tudo o que Deus faz é bom, é perfeito. O pré-requisito para a aliança está na existência de Deus mesmo e do Seu povo amado; sem Deus e sem o Povo não haverá aliança!… Deus e o Povo: sujeitos, atores, da aliança. O Matrimônio cristão também é ato perfeito, abençoado e bom, estabelecido por Deus. No Matrimônio, os sujeitos, atores, são o HOMEM e a MULHER, não poderá haver fraude.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *