QUESTÃO 281 – YOUCAT: PORQUE DESEJAMOS A FELICIDADE?

(Em edição)

QUESTÃO 281: PORQUE DESEJAMOS A FELICIDADE?

YouCat responde: Deus colocou no nosso coração uma ânsia infinita de felicidade, que só Ele consegue satisfazer. As realizações terrenas apenas nos dão um antegozo da felicidade eterna. Superando-as temos de nos virar para Deus. [1718-1719]  >- 56-65.

Citações:

Deus quer que sejamos felizes. Mas onde está a nascente desta esperança? Está na comunhão com Deus,  que vive no fundo da alma de cada pessoa. Irmão Rogerr Schutz.

REFLEXÃO

Em Deus a felicidade é infinita.

A-felicidade-leonardo-pereira-5-638

“Disse-lhe seu senhor: – Muito bem, servo bom e fiel; já que foste fiel no pouco, eu te confiarei muito. Vem regozijar-te com teu senhor.” (Mt 25,21)

Podemos imaginar a dimensão do compulsório drama da humanidade no querer ser feliz à revelia da vontade de Deus.

O drama é compulsório porque foi imposto por Satanás; ele começou qundo a humanidade ainda ensaiava seus primeiros passos no teatro da vida.

O que é um Drama? 

Eis algumas dicas: “Qualquer peça ou composição teatral; peça teatral de tom menos pesado que a tragédia, onde o cômico pode se misturar ao trágico; acontecimento patético ou comovente; sucessão de acontecimentos em que há agitação ou tumulto.” (Dicio-internet)

O drama da humanidade é tudo isto…; a humanidade é vista como um projeto desvirtuado por Satanás, e que Deus trabalha para resgatar e reconduzir ao pais da plena e verdadeira felicidade, para a qual está destinada desde sempre. 

O projeto de Deus é um projeto de amor, de felicidade…

Satanás apareceu e propôs uma felicidade separada de Deus, espetaculosa, cômica, trágica, patética, teatral e enganosa.

Na verdade, Satanás quis apossar-se do projeto de Deus; semeou a desconfiança e o orgulho no coração da humanidade, insinuando que é possível ser feliz sem Deus. 

Ao longo da história humana, Deus não se cança de trabalhar, enviar operários para cuidar, recuperar e dificar Seu Projeto, Sua Vinha…

Deus manifestou-se, fez aliança, conduziu povos e demonstrou Seu poder, Seu amor, Sua vontade…

Por fim, veio, Ele mesmo, em Nosso Senho Jesus Cristo…

E é Jesus mesmo quem nos revela o drama da humanidade, diante de Deus e dos homens, manifestando-nos o grande amor do Senhor da vinha, do Seu Pai, Deus. (cf. Mt 21, 33-46):

“Ouvi outra parábola: havia um pai de família que plantou uma vinha. Cercou-a com uma sebe, cavou um lagar e edificou uma torre. E, tendo-a arrendado a lavradores, deixou o país. Vindo o tempo da colheita, enviou seus servos aos lavradores para recolher o produto de sua vinha. Mas os lavradores agarraram os servos, feriram um, mataram outro e apedrejaram o terceiro. Enviou outros servos em maior número que os primeiros, e fizeram-lhes o mesmo. Enfim, enviou seu próprio filho, dizendo: Hão de respeitar meu filho. Os lavradores, porém, vendo o filho, disseram uns aos outros: Eis o herdeiro! Matemo-lo e teremos a sua herança! Lançaram-lhe as mãos, conduziram-no para fora da vinha e o assassinaram. Pois bem: quando voltar o senhor da vinha, que fará ele àqueles lavradores? Responderam-lhe: Mandará matar sem piedade aqueles miseráveis e arrendará sua vinha a outros lavradores que lhe pagarão o produto em seu tempo. Jesus acrescentou: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor, e é admirável aos nossos olhos (Sl 117,22)? Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele.

 [Aquele que tropeçar nesta pedra, far-se-á em pedaços; e aquele sobre quem ela cair será esmagado.] 

Ouvindo isto, os príncipes dos sacerdotes e os fariseus compreenderam que era deles que Jesus falava. E procuravam prendê-lo; mas temeram o povo, que o tinha por um profeta.”

O grande drama da humanidade é querer ser feliz sem Deus, é trocar a Felicidade Eterna, em Deus, por uma felicidadezinha pálida, concebida pela mente orgulhosa do inimigo do Criador e inimigo da criatura humana.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *