QUESTÃO 333 – YOUCAT: EXISTE UMA LEI NATURAL QUE POSSA SER CONHECIDA POR TODOS?

(Em edição)

QUESTÃO 333: EXISTE UMA LEI NATURAL QUE POSSA SER CONHECIDA POR TODOS?

Rembrandt (1606-1669). Moisés com as tábuas da Lei (1659). https://sumateologica.wordpress.com/tag/lei-natural/

YouCat responde: Se as pessoas fazem o bem e evitam o mal, deve estar inscrita, no seu íntimo, a sua consciência sobre aquilo que é bom ou mau. Com efeito, existe uma tal lei, por assim dizer “natural” ao ser humano, que em princípio pode ser descoberta por qualquer pessoa através de sua razão [1949-1960, 1075,1978-1979].

E continua: A Lei Natural é válida para todos. Diz ao ser humano que direitos e deveres fundamentais ele tem, constituindo, assim, o fundamento intrinseco da convivência na família, na sociedade e no Estado. Porque o conhecimento natural está ofuscado pelo pecado e pela fraqueza humana, o ser humano necessita da ajuda de Deus e de Sua Revelação, para permanecer no bom caminho.

Citações:

  • PRINCÍPIO DA SOLIDARIEDADE (Lat. solidus = firme, forte): É o princípio da Doutrina Social da Igreja que visa a união entre as pessoas e se orienta para uma “civilização do amor” (João Paulo II).

 

REFLEXÃO

Uma bendita Lei Natural governa e disciplina a convivência humana e pode ser percebida no anúncio da Criação, quando a Sagrada Escritura diz que “… Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom” (Gn 1,31). Tudo o que Deus criou atende aos mais altos critérios de perfeição porque Deus é infinitamente perfeito, misericordioso e bom. O pecado afastou o ser humano da fonte da perfeição. E ele, assumindo a autoderterminação conquistada à revelia de Deus, divagou por terras estranhas e por climas adversos, cultivando solo rude, por entre ervas espinhosas. 

palmilhou

Psicologia-e-a-Lei-Natural-renate_jost

    A Psicologia e a Lei Natural – Renate Jost de Moraes. https://sumateologica.wordpress.com/tag/lei-natural/

“Se, então, a lei natural é descoberta pela razão a partir das “inclinações fundamentais da natureza humana . . . absolutas, imutáveis e de validade universal para todos os tempos e lugares,” segue-se que a lei natural fornece um conjunto objetivo de normas éticas que guiam as ações humanas em qualquer tempo ou lugar.[1]A lei natural é, em sua essência, uma ética profundamente “radical”, pois ela expõe o status quo existente, que pode violar gravemente a lei natural, à impiedosa e inflexível luz da razão.  No campo da política ou da ação estatal, a lei natural fornece ao homem um conjunto de normas que pode ser radicalmente crítico às leis positivas atualmente impostas pelo estado (diz-se positiva (jus positum) uma lei, porque posta ou estabelecida pela autoridade competente). Neste momento, precisamos destacar apenas que a própria existência de uma lei natural sujeita à descoberta pela razão é uma ameaça potencialmente poderosa aostatus quo bem como uma reprovação permanente da soberania de costumes cegamente tradicionais ou à vontade arbitrária do aparato estatal. “

“Na verdade, os princípios legais de qualquer sociedade podem ser estabelecidos de três maneiras diferentes: (a) seguindo-se os costumes tradicionais da tribo ou comunidade; (b) obedecendo-se à vontade arbitrária ead hoc daqueles que governam o aparato estatal; ou (c) utilizando a razão humana para descobrir a lei natural — resumindo, por conformidade subordinada aos costumes, por capricho arbitrário ou pelo uso da razão humana.  Essencialmente são estas as únicas formas possíveis de estabelecer uma lei positiva.  Aqui afirmaremos apenas que o último método (c) é ao mesmo tempo mais apropriado para o homem, mais nobre e plenamente humano, e mais potencialmente “revolucionário” vis-à-vis qualquer status quo conhecido. “

“Em nosso século, o desprezo pela mera existência da lei natural e a difundida ignorância sobre esta tem limitado a sugestão de adoção das estruturas legais (a) ou (b), ou uma mistura das duas.  Isto afeta também aqueles que advogam uma política de liberdade individual.  Portanto, existem libertários que simples e inquestionavelmente adotariam o direito consuetudinário, mesmo com suas muitas falhas anti-libertárias.  Outros, como Henry Hazlitt, descartariam todas as limitações constitucionais ao governo e contraria unicamente com a vontade da maioria como expressada pela legislatura.  Nenhum dos grupos parece compreender o conceito de uma estrutura de lei natural racional como referência para moldar e re-moldar leis positivas em vigência.[2] “

——————–

Publicado em 3 de abr de 2014

Palestra sobre o método ADI/TIP, criado por Renate Jost de Moraes, realizada por Maria Clara Jost, em 22 de novembro de 2011.

Assista a palestras sobre este tema presencialmente na sede da FUNDASINUM, à rua Musas, 166, Bairro Santa Lúcia, em Belo Horizonte, Brasil, todas as 3as terças feiras de cada mês.   Palestra “A ADI em detahes” realizada por Maria Clara Jost em 22/11/2011

A proposta do Método de Intervenção terapêutica ADI/TIP (Método da Abordagem Direta do Inconsciente[1] eTerapia de Integração Pessoal) é de uma vivência terapêutica que possibilita a descoberta das conclusões pessoais que foram registradas no inconsciente e que são descritas conscientemente pela pessoa como códigos …

Nos últimos anos, a Fazenda da Esperança custeou a formação de vários profissionais na área de psicologia e esses se especializaram no método de intervenção terapêutica ADI/TIP.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *