QUESTÃO 334 – YOUCAT: QUE RELAÇÃO TEM A LEI NATURAL COM A LEI DA ANTIGA ALIANÇA?

(Em edição)

QUESTÃO 334: QUE RELAÇÃO TEM A LEI NATURAL COM A LEI DA ANTIGA ALIANÇA?

 

Moisés-tabuas-da-lei

“As tábuas de Lei”, entregues a Moisés. Vale lembrar que Deus já havia feito duas alianças com o ser humano: com Noé “Arco-Iris”, e com Abraão “Circuncisão”. http:// www.bibliaresumida.com.br/2012/01/estudo-da-biblia-capitulo-08-exodo.html

 

YouCat responde: A Lei da Antiga Aliança exprime verdades que por natureza são comprensíveis pela razão, e que foram posteriormente apresentadas e reconhecidas como Lei de Deus. [1961-1963, 1981]  

Citações: A LEI NATURAL “Existem, em todas as culturas, singulares e variadas convergências éticas, expressão de uma mesma natureza humana querida pelo Criador e que a sabedoria etica da humanidade chama de Lei Natural’. Bento XVI, Caritas in veritate, nº. 59.

 

p/REFLEXÃO

“A lei moral natural é um primeiro passo na comunicação do desígnio salvífico divino a todo o gênero humano, cujo completo conhecimento só se faz possível pela Revelação. A lei natural «tem por raiz a aspiração e a submissão a Deus, fonte e juiz de todo bem, bem como o sentido do próximo como igual a si mesmo» (Catecismo, 1955).”

“- Propriedades. A lei moral natural é universal porque se estende a todas as pessoas, de todas as épocas (cfr. Catecismo, 1956). «É imutável e permanente através das variações da história; subsiste sob o fluxo de ideias e costumes e sustenta seu progresso. As regras que a exprimem permanecem substancialmente válidas» (Catecismo, 1958)[8]. É obrigatória já que, para tender para Deus, o homem deve fazer livremente o bem e evitar o mal; e para isto deve poder distinguir o bem do mal, o qual sucede antes de mais nada graças à luz da razão natural[9]. A observância da lei moral natural pode ser algumas vezes difícil, mas jamais é impossível[10].”

“- Conhecimento da lei natural. Os preceitos da lei natural podem ser conhecidos por todos mediante a razão. Sem embargo, de fato nem todos seus preceitos são percebidos por todos de uma maneira clara e imediata (cfr.Catecismo, 1960). Seu efetivo conhecimento pode estar condicionado pelas disposições pessoais da cada um, pelo ambiente social e cultural, pela educação recebida, etc. Já que na situação atual as sequelas do pecado não tenham sido totalmente eliminadas, a graça e a Revelação são necessárias ao homem para que as verdades morais possam ser conhecidas por «todos e sem dificuldade, com uma firme certeza e sem mistura de erro»[11].”

“3. A lei divino-positiva: A Lei Antiga, revelada por Deus a Moisés, «é o primeiro estado da Lei revelada. Suas prescrições morais estão resumidas nos Dez mandamentos» (Catecismo, 1962), que expressam conclusões imediatas da lei moral natural. Toda a economia do Antigo Testamento está sobretudo ordenada a preparar, anunciar e significar a vinda do Salvador[12].”

A Nova Lei ou Lei Evangélica ou Lei de Cristo «é a graça do Espírito Santo dada mediante a fé em Cristo. “Os preceitos externos, dos quais também fala o Evangelho, preparam para esta graça ou prolongam seus efeitos na vida»[13].” (http://opusdei.org.br/pt-br/article/tema-26-a-liberdade-a-lei-e-a-consciencia/).

REFLEXÃO
 
No universo das criaturas de Deus, tudo está ligado com tudo e Deus não se fadiga de providenciar para que tudo prospere e colabore para o bem de tudo, porque Deus é bom. 
A natureza inteira está a manifestar a infinitude dos atributos de Deus. Sabedoria, poder, bondade, justiça e glória, e uma infinidade de atributos de Deus, vinculam dignamente as criaturas a seu Criador, numa edificante e gloriosa aliança perpétua de amor e paz. Assim, o sublime autor da humanidade, trabalha a natureza humana, cuidando para que Sua criatura, de livre vontade, tome consciência dos edificantes valores eternos revelados, e colabore em sua própria caminhada de salvação.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *