QUESTÃO 340 – YOUCAT: COMO SE COMPORTA A GRAÇA DE DEUS RELATIVAMENTE À NOSSA LIBERDADE?

(Em edição)

 QUESTÃO 340: COMO SE COMPORTA A GRAÇA DE DEUS RELATIVAMENTE À NOSSA LIBERDADE?

Graça-santo_agostinho_a_graca_ii_a_graca_e_a_liberdade_a_correcao_fraterna_a_predestinacao_dos_santos.

O presente volume traz quatro obras fundamentais de Santo Agostinho: A graça e a liberdade, A correção e a graça, A predestinação dos santos e o dom da perseverança. De fato, nestes livros e no anterior (A graça (I)), Agostinho expõe mais uma vez sua tese fundamental: a de que a natureza humana está radicalmente corrompida, cega e infeliz, incapaz por si só de um ato bom. Só a graça de Deus pode torná-la capaz de bons desejos, boas ações, de sair de sua enfermidade, alcançar a cura e a salvação. Só ela corrige, aperfeiçoa, enobrece, cura, eleva, santifica e salva o homem.

YouCat responde: A graça de Deus vem ao encontro do ser humano na liberdade, procurando-o e apoiando-o em toda a sua liberdade. A graça não força. O amor de Deus quer o nosso livre consentimento. [2001-2002, 2022].

E continua: A graça também pode ser recusada. A graça, porém, não é algo exterior ou estranho ao ser humano; ela é o que propriamente este deseja em profundíssima liberdade. À medida que Deus nos move pela Sua graça, antecipa-Se a livre resposta do ser humano.

Citações:

  • Que tens que não tenhas recebido? (1Cor 4,7).
  • O meu passado já não me preocupa; pertence à misericórdia divina. O meu futuro ainda não me preocupa; pertence à misericórdia divina. O que me preocupa e me desafia é o hoje, que pertence à graça de Deus e à entrega do meu coração, de minha boa vontade. São Francisco de Sales.

REFLEXÃO

YouCat340

Imagem, pág. 188 – YouCat: Questões 339/340: A livre busca de Deus na comunidade.

“A natureza humana está radicalmente corrompida, cega e infeliz, incapaz por si só de um ato bom”, diz Santo Agostinho. O santo sabe muito bem o que diz, pois, se o diz, é por inspiração d’Aquele que o santificou, que o faz. Somente Aquele que santificou o santo poderá reverter o quadro da miséria humana, dar vista ao cego e capacitar o ser humano para o bem; mas, a graça requer a adesão, de boa vontade, do ser humano.

No mundo, já não é fácil encontrar espaço para estar com Deus. O encontro com Deus requer silêncio interior. É preciso coragem, vontade e determinação para sair em busca de silêncio, solidão, quietude e interiorização, para ir ao encontro da graça. É  necessário migrar das praias do simples existêncialismo para a profundeza da vida plena a que o ser humano está destinado; o que só acontece pela graça de Deus.

Em nossa inteira liberdade, expontaneamente,  é preciso desejar Deus, no mais profundo da nossa alma, para sair da superfície e viver a plenitude da graça que nos é destinada. Pela vontade de Deus, a graça há de operar em nós e unificar-nos. A Trindada que operou na serva fiel, Maria, e nos deu Jesus, também há de operar em nós, para a nossa ressurreição e salvação.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *