QUESTÃO 380 – YOUCAT: POR QUE PODEMOS MATAR OUTRA PESSOA EM CASO DE LIGÍTIMA DEFESA?

(Em edição)

QUESTÃO 380: POR QUE PODEMOS MATAR OUTRA PESSOA EM CASO DE LIGÍTIMA DEFESA?

Resultado de imagem para imagem legitima defesa

Se o direito defendido é mais importante do que o direito agredido (e.g., vida x patrimônio), é possível alegar a legítima defesa. http://direito.folha.uol.com.br/direito-civil.html

YouCar responde: Quem atenta contra a vida dos outros pode e deve ser impedido, em caso de necessidade, pode mesmo ser morto. [2263-2265, 2321].

E continua: A legítima defesa não é apenas um direito; ela pode até ser um dever para quem é responsável por outras pessoas.  A medida empregue para a legítima defesa não deve, porem, ser equívoca nos seus meios nem desapropriadamente dura.

REFLEXÃO

A legítima defesa é também uma resposta cristã à violencia mundana. Muito há que se apreender e conhecer a cerca dos direitos humanos; e isto passa pela força de vontade, pela determinação, pelo ímpeto de sobrevivência, mas também, pelo entusiasmo em viver a vida em plenitude, de acordo com a vontade de Deus.

Há que se preservar a vida, doa a quem doer e doe-se quem se doar!

A inoscência de Abel o elevou à salvação eterna, pois fazia oferendas agradáveis ao Senhor, embora não o tenha salvo da morte física; porém, a arrogância de Caim não o condenou à morte física, pois, o Senhor da vida o preservou longamente, neste mundo, tendo em vista, também, sua eterna salvação; por que, aqui, enquanto há vida, haverá esperança, haverá possibilidade de se trabalhar para alcançar a salvação eterna.

Diz a Sagrada Escritura que o Senhor é misericordioso com o pecador que se arrepende; é provável que tenha sido assim com Caim!

“Caim disse ao Senhor: “Meu castigo é grande demais para que eu o possa suportar. Eis que me expulsais agora deste lugar, e eu devo ocultar-me longe de vossa face, tornando-me um peregrino errante sobre a terra. O primeiro que me encontrar, matar-me-á.” E o Senhor respondeu-lhe: “Não! Mas aquele que matar Caim será punido sete vezes.” O Senhor pôs em Caim um sinal, para que, se alguém o encontrasse, não o matasse. Caim retirou-se da presença do Senhor, e foi habitar na região de Nod, ao oriente do Éden. Caim conheceu sua mulher. Ela concebeu e deu à luz Henoc. E construiu uma cidade, à qual pôs o nome de seu filho Henoc. Henoc gerou Irad, Irad gerou Maviael; Maviael gerou Matusael, Matusael gerou Lamec”. (Gn 4, 13-18)




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *