QUESTÃO 416 – YOUCAT: O QUE PERTENCE ESSENCIALMENTE AO MATRIMÔNIO CRISTÃO?

(Em edição)

QUESTÃO 416: O QUE PERTENCE ESSENCIALMENTE AO MATRIMÔNIO CRISTÃO?

liturgia-matrimonio-catolico

YouCat responde:

1. A unidade: o matrimônio é uma aliança que realiza a união do corpo, do espírito e da alma de um homem e uma mulher. 2. A indissolubilidade: o matrimônio vale “até que a morte vos separe”. 3. A abertura à descendência: cada casal deve estar aberto aos filhos. 4. A orientação para o bem do cônjuge. [2360-2361, 2397-2398]. 

E continua: Se, no momento da celebração matrimonial,  um dos cônjuges excluir um dos quatro elementos acima referidos, o > Sacramento do matrimônio não se realiza > 60. 400.

Citações:

  • Evitar a confusão com outros tipos de uniões fundadas sobre um amor frágil apresenta-se, nos dias de hoje, com uma urgência especial. Somente a rocha do amor total irrevocável entre o homem e a mulher é capaz de um fundamento para a construção de uma sociedade que se torne casa para todos. Bento XVI, 11.05.2006.

REFLEXÃO

Unidade, indissolubilidade, abertura à descendência e orientação para o bem do cônjuge (consorte): O casamento cristão longe de apresentar-se como um  permanente Jardim terrestre das Delícias, é melhor retratado nos acontecimentos do Jardim do Getsémani (Horto das Oliveiras) e do Monte Calvário. Casamento é aliança, união; requer compromisso, responsabilide, amor, sacrifício; é um morrer quotidiano para dar vida; é perdoar “setenta vezes sete” (sempre) para que o amor prevaleça. O exemplo maior é Jesus (o esposo) que neste mundo entregou a própria vida por sua Igreja (a noiva).  

“Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra, para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim os maridos devem amar as suas mulheres, como a seu próprio corpo. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Certamente, ninguém jamais aborreceu a sua própria carne; ao contrário, cada qual a alimenta e a trata, como Cristo faz à sua Igreja – porque somos membros de seu corpo. Por isso, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois constituirão uma só carne (Gn 2,24). Este mistério é grande, quero dizer, com referência a Cristo e à Igreja. Em resumo, o que importa é que cada um de vós ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher respeite o seu marido. (Ef 5,25-33)

Casados, homem e mulher, serão uma só carne; e tudo será como era antes do dia em que Adão foi por Deus submetido àquele sono profundo para subtração da bendita costela; e a mulher, posta miraculosamente pelo Criador diante de Adão, como companheira fiel.

Uma só carne, unidade indissolúvel, cooperando com o projeto de Deus e pronto para assumir as consequências do amor oblativo; sacrifício em favor da vida.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *