QUESTÃO 417 – YOUCAT: QUE SENTIDO TEM O ENCONTRO SEXUAL NO MATRIMÔNIO?

(Em edição)

QUESTÃO 417: QUE SENTIDO TEM O ENCONTRO SEXUAL NO MATRIMÔNIO?

 

o-matrimonio

http://www.escola-dominical.com/2012/10/ licao-02-oseias-fidelidade-no_4479.html

YouCat responde: Segundo a vontade de Deus, o homem e a mulher precisam se encontrar num prazer erótico e sexual, para se unirem cada vez mais profundamente um ao outro em amor e fazerem nascer filhos do seu amor. [2362-2367].

E continua: O corpo, o prazer e a alegria erótica gozam, no Cristianismo, de grande valor. “O Cristianismo […] acredita que a matéria é boa, que um dia o próprio Deus tomou a forma humana, que no Céu nos será dada uma espécie de corpo que será parte essencial da nossa bem-aventurança, beleza e forma. Mais do que qualquer outra > Religião, o Cristianismo enalteceu o matrimônio. Quase toda a alta poesia romântica da literatura mundial foi criada por cristãos, e o Cristianismo discorda de todo aquele que considera a sexualidade má, em si mesma”. (C. S. Lewis). O prazer, contudo, não é um fim em si mesmo; quando o desejo de um casal se fecha em si mesmo e não está aberto á vida nova que dele quer surgir, ele não satisfaz a natureza do amor.

Citações:

  • Deus não nos quer roubar o prazer; Ele quer dar-nos prazer sem fim. Heirich Seuse (1295-1366, teólogo e místico alemão).
  • Porque tudo o que Deus criou é bom, e nada é rejeitado se for gozado com gratidão. 1Tm 4,4.

REFLEXÃO

A multiplicação natural da vida, em toda sua diversidade de formas, intensidades e dimensões, vincula-se ao ensejo de santas e totais atrações e doações, das criaturas de Deus, num sacrifício que prossegue até as últimas consequências.

O prazer e a alegria associados á sexualidade, em suas naturais manifestações, são tão necessários, desejáveis e providenciais, em todas as suas formas, ao Projeto de Deus, quanto a própria vida.

No seio da humanidade, o desejo de prazer e de alegria é a energia de amor que inflama as relações, multiplica a vida e realiza os desígnos do Pai Criador.

A vida está longe de ser uma brincadeira, e a sexualidade não deve ser exercida como se fosse descompromissada ida a um parque de diversões, numa bela e fagueira tarde de domingo.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *