QUESTÃO 46 – YOUCAT: POR QUE DESCREVE O LIVRO DO GÉNESIS A CRIAÇÃO COMO UMA “OBRA DE SEIS DIAS”?

(Em edição)
 
Youcat responde: “Na metáfora da “semana de trabalho”, coroada por um dia de descanso (Gn 1,1-2,3), exprime-se quão boa, bela e sabiamente ordenada é a Criação, [337-342].”
E continua: “Do simbolismo da “semana de trabalho” podem deduzir-se relevantes postulados: 
1. Nada há que não tivesse sido chamado à existência pelo Criador. 
2. Tudo quanto existe é, à sua maneira, bom. 
3. Mesmo aquilo que se tornou mau tem uma essência boa. 
4. Os seres e as coisas criados estão mutuamente relacionados e orientados. 
5. A Criação reflete, na sua ordem e harmonia, a extraordinária bondade e beleza de Deus. 
6. Na Criação existe uma hierarquia: o ser humano está sobre os animais, os animais sobre as plantas, as plantas sobre a matéria não vivificada. 
7. A Criação caminha para o grande festim em que Cristo recolherá o mundo em Sua casa,  tornando-Se Deus “tudo em todos” (1Cor 15,28). >362.
Citações Youcat: “Não creias que Deus nos proíbe totalmente de amar o mundo. Não! Devemos amá-lo porque tudo aquilo a que Ele deu existência é digno do nosso amor. Santa Catarina de Sena (1347-1380, mistica e doutora da Igreja).”
Criação-do-mudo2

O mundo criado em seis dias: desafioscristao.blogspot.com.b

x–x
CIC [337-342] – II. O MUNDO VISÍVEL:
 
337 Foi Deus mesmo quem criou o mundo visível em toda a sua riqueza, diversidade e ordem. A Escritura apresenta a obra do Criador simbolicamente como uma seqüência de seis dias “de trabalho” divino que terminam com o “descanso” do sétimo dia. O texto sagrado ensina, a respeito da criação, verdades reveladas por Deus para nossa salvação que permitem “reconhecer a natureza profunda da criação, seu valor e sua finalidade, que é a glória de Deus”. (Parágrafos relacionados: 290,293)
338 Não existe nada que não deva sua existência a Deus criador. O mundo começou quando foi tirado do nada pela Palavra de Deus; todos os seres existentes, toda a natureza, toda a história humana têm suas raízes neste acontecimento primordial: é a própria gênese pela qual o mundo foi constituído e o tempo começou. (Parágrafo relacionado: 297)
339 Cada criatura possui sua bondade e sua perfeição próprias. Para cada uma das obras dos “seis dias” se diz: “E Deus viu que isto era bom”. “Pela própria condição da criação, todas as coisas são dotadas de fundamento próprio, verdade, bondade, leis e ordens especificas.” As diferentes criaturas, queridas em seu próprio ser, refletem, cada uma a seu modo, um raio da sabedoria e da bondade infinitas de Deus. É por isso que o homem deve respeitar a bondade própria de cada criatura para evitar um uso desordenado das coisas, que menospreze o Criador e acarrete conseqüências nefastas para os homens e seu meio ambiente. (Parágrafos relacionados: 2501,299,226)
340 A interdependência das criaturas é querida por Deus. O sol e a lua, o cedro e a pequena flor, a águia e o pardal: as inúmeras diversidades e desigualdades significam que nenhuma criatura se basta a si mesma, que só existem em dependência recíproca, para se completarem mutuamente, a serviço umas das outras. (Parágrafo relacionado: 1937)
341 A beleza do universo. A ordem e a harmonia do mundo criado resultam da diversidade dos seres e das relações que existem entre eles. O homem as descobre progressivamente como leis da natureza. Elas despertam a admiração dos sábios. A beleza da criação reflete a infinita beleza do Criador. Ela deve inspirar o respeito e a submissão da inteligência do homem e de sua vontade. (Parágrafos relacionados: 283,2500)
342 A hierarquia das criaturas é expressa pela ordem dos “seis dias”, que vai do menos perfeito ao mais perfeito. Deus ama todas as suas criaturas[fca44] , cuida de cada uma, até mesmo dos pássaros. Apesar disso, Jesus diz: “Vós valeis mais do que muitos pardais” (Lc 12,7), ou ainda: “Um homem vale muito mais do que uma ovelha” (Mt 12,12). (Parágrafo relacionado: 310).
x–x
REFLEXÃO
Ainda não nos revelou Deus o caminho de entendimento desta questão. São seis dias para a criação de tudo, como também, são doze tribos para a criação do povo de Deus. Do que nos está revelado, apenas podemos concluir que a matemática do Criador não tem paralelo com a matemática da criatura e esta questão não parece ser relevante perante o projeto de Salvação da humanidade, o que realmente nos interessa a nós criaturas e ao nosso Criador.
Oportuno se faz esclarecer que vejo com muita naturalidade esta questão, esta dificuldade, diante da infinita distância que separa criatura e Seu Criador. Pode haver mistério maior, para o cristão, do que o projeto de encarnação de Nosso Senhor Jesus Cristo, Deus conosco?  Diante das dificuldades Deus nos faz revelações, mostra caminhos e nos habilita com o dom da fé.  Eis porque a fé é fundamental, tão importante, para o cristão!…

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *