QUESTÃO 370 – YOUCAT: POR QUE DEVE O ESTADO PROTEGER E APOIAR AS FAMÍLIAS?

(Em edição)

QUESTÃO 370: POR QUE DEVE O ESTADO PROTEGER E APOIAR AS FAMÍLIAS?

09/08/2016 - Nova ação do Família Paranaense beneficia famílias agricultoras - Foto: Aliocha Mauricio/SEDS

Governo do Estado apoia pequenos produtores com transferência de renda. Nova ação do Família Paranaense beneficia famílias agricultoras. Foto: Aliocha Mauricio/SEDS. http://jornaldoiguassu.com.br/parana/23-geral/13101-governo-do-estado-apoia-pequenos-produtores-com-transferencia-de-renda.html

YouCat responde: O bem e o futuro de uma nação depende da vida e do desenvolvivento de sua menor unidade a família [2209-­2213, 2250]

E continua: Nenhum Estado tem o direito de controlar, por dentro, a célula original da sociedade, a família, ou de lhe negar o direito à existência. Nenhum Estado tem o direito de definir a família de um modo distinto do que foi estabelecido na Criação. Nenhum Estado tem o direito de se apoderar das funções básicas da família, especialmente no âmbito da educação. Pelo contrário, cada Estado tem o dever de ajudar as famílias, favorecendo-as e assegurando-lhes as necessidades materiais 323.

Citações:

  • Os mais novos devem, portanto, honrar os mais velhos; os mais velhos devem amr os mais novos. São Bento de Núrsia.  
  • Quando a família está bem, o pais está bem; quando o país está bem, a grande comunhão humana vive em paz. Lü Bu We (ca 300-236 a. C., filósofo chinês).

REFLEXÃO

 

Preservar a vida, favorecer a vida, lutar pela vida e até morrer para salvar vida, e poder viver em plenitude: eis o objetivo do amor! 

“Porque o que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas o que perder a sua vida por amor de mim e do Evangelho, salvá-la-á. Pois que aproveitará ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder a sua vida? Ou que dará o homem em troca da sua vida?” (Mc 8, 35-37)

Se o Estado pretender salvar vida precisa aprender a amar, aplicar a lei com amor ou amar aplicando a lei.  É com a família que o Estado poderá aprender a amar e governar. 

Quando o homem e a mulher se amam, e com a graça de Deus são unidos em matrimônio, juntos eles ultrapassam a zona do conforto egoísta e avançam no terreno do amor oblativo (amor doação, entrega voluntária, tão gratuita e aquecedora quanto a luz do sol); uma nova vida há de lhes fazer pulsar os corações; e uma nova família será criada.

 



Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.