Pai e Mãe: Portadores de porções do poder criador de Deus

PAI E MÃE: PORTADORES DE PORÇÕES DO PODER CRIADOR DE DEUS


Matrimonio cristão: uma aliança a serviço de Deus.
Existimos para manifestação da glória de Deus. Foi para isto que o Senhor Deus guardou no mais íntimo de cada um de nós uma porção sagrada, especial, do Seu poder criador.
Assim, Deus nos fez participes da Criação. Por Sua graça, nisto somos semelhantes a Ele. Mas, infinitamente sábio, o Senhor conhece bem Sua criatura; sabe do que o coração humano é capaz.
Por isto, o Senhor não confiou o depósito do Seu poder criador às mãos de uma só criatura, como ocorre com certas formas de vida em nosso planta; com certas plantas que foram capacitadas à autofecundação. Com o ser humano Deus precisou ser mais detalhista, deu a cada um a posse parcial do emígma da criação; de tal forma que se alguém quiser participar da obra da criação precisa aprender a amar. Só amando homem e mulher podem, efetivamente, estar unidos; só no amor, juntos, ambos, serão habilitados a gerar vida, doando-se mutuamente, contribuindo por seus próprios corpos para a gloria de Deus. E eles ofertarão de graça o que de graça receberam.
Da graça de Deus, que produz e inflama o amor, brotarão os filhos da natureza humana, filhos dos homens e das mulheres de boa vontade; filhos que deverão ser criados e conduzidos segundo a vontade de Deus. E tudo o que escapar ao propósito de Deus deverá ser afastado deste sacrossanto mistério de amor.
A misericórdia de Deus é infinita. Ele nos tirou do nada, com o sopro da vida, e ainda nos fez portadores de milagrosa porção geradora, fazendo-nos cooperadores da Criação.
É claro que a criatura humana continua sob a tentação do inimigo de Deus. É verdade que o conhecimento científico tem permitido a geração humana à revelia do amor conjugal. Egoísticamente, homem e mulher têm driblado os sagrados desígnios de Deus. Seus rebentos são gerados por diferentes modos de fecundação. E isto constitui mais uma forma de desobediência ao nosso Criador.

Dia das mães e dia dos País
Conforme o ponto de vista acima desenvolvido, não nos parece conveniente exaltarmos as mães e os pais por um feito tão divino e majestoso.
Afinal, não é por seus próprios méritos e poderes mas, pela graça de Deus que mulher e homem, servindo ao propósito da Criação, manifestam a glória do Altíssimo em seus próprios corpos, e dão à luz seus sagrados rebentos de humana oliveira.
Parece-nos mais conveniente festejarmos o Sexto Dia da Criação, o dia em que de barro fez Deus o homem e deu-lhe o sopro de vida, ou o dia em que fez sobrevir profundo sono a Adão para, com primor de perfeição, criar a Mulher.  Teríamos portanto, o dia da Pater-Maternidade humana, em substituição ao dia das mães e ao dia dos pais.
O dia de todas as mães e o dia de todos os pais deveria ser um só, o dia do matrimonio; o dia em que, por amor, homem e mulher, diante de Deus e com o testemunho dos homens, disponibilizam as porções sagradas de vida, dom de Deus, para a bendita geração dos filhos.

Pai e mãe são apenas criaturas, instrumentos, e não devem querer usurpar de Deus a obra de Suas mãos criadoras. O autor da vida, tudo gera. Ele cria as duas porções geradoras da humanidade; Ele é o Deus da sabedoria, o Deus da glória.

O dia das mães como o dia dos pais são assim chamados porque provavelmente foram criados para servir a outros propósitos, alheios à vontade de Deus, como o comercial. Estes propósitos são alimentadores do ego; estão a serviço dos que se colocam no lugar de Deus; refletem o vício do pecado original.
No dia da mater/paternidade humana, fruto da ação criadora de Deus; dia da maternidade humana de Deus, eu, um simples instrumento, quero agradecer a Deus e parabenizar a você querida mamãe, a você querido papai, por se haverem amado e se haverem doado, um ao outro; por dizerem sim a Deus e cooperado com Sua obra criadora.
Por isto, somos todos filhos da aliança, frutos do amor; só o amor constrói.
É por amor que homem e mulher, por livre decisão, cooperam com Deus gerando vida.

Glória a Deus!



Analista de Sistemas. Filho de Pedro Furtado Leite