QUESTÃO 11-YOUCAT: “POR QUE TRANSMITIMOS A FÉ?”

QUESTÃO 11: “POR QUE TRANSMITIMOS A FÉ?”

JMJ – Missa. Paróquia São Jerônimo, 2ª Forania do Vicariato Suburbano. Mar/2012

 

YouCat responde:

“Transmitimos a fé porque Jesus ordenou-nos: ‘Ide fazei discípulos de todas as nações’ (Mt 28,19){91}.”

 

 

E continua:

“Nenhum cristão autêntico deixa a transmissão da fé apenas aos cuidados dos especialistas (catequistas, párocos, missionários). Somos cristãos para os outros. Isto significa que cada cristão autêntico deseja que Deus chegue também aos outros. Ele diz par si: ‘O Senhor precisa de mim! Sou batizado confirmado e responsável para que as pessoas a minha volta façam a experiência de Deus e cheguem ao conhecimento da Verdade'(1Tm 2,4). Madre Teresa utilizou uma boa metáfora: ‘É frequente observares fios elétricos ao longo da estrada. Se a corrente não passou por eles, não há luz. O fio é o que somos tu e eu. A corrente elétrica é Deus. Temos o poder de a deixar passar através de nós e, assim, fornecer ao mundo a luz que é Jesus, ou de recusarmos que Ele Se sirva de nós, permitindo, com isso, que a escuridão se alastre;123.”
Missão? (lat.: missio=envio)

A missão é a essência da igreja e o mandamento de Jesus a todos os cristãos de anunciar o Evangelho com palavras e atos, de forma a que todas as pessoas optem livremente por Cristo.”
Citações YouCat:

“É urgente e necessário que surja uma nova geração de apóstolos que estejam enraizados na Palavra de Cristo, em condição de dar uma resposta aos desafios do nosso tempo e preparados para anunciar o Evangelho em toda a parte.” (Bento XVI. 22.02.2006).

 

REFLEXÃO

Transmitir a fé, fazer discípulos por toda parte, até os confins da terra, é dever do cristão. 

O amoroso projeto de Deus para resgate do gênero humano exige coragem e determinação. Foi sempre assim.

A exemplo de Jesus, o cristão deve ser pescador de seres humanos, para Deus, mesmo que esta missão signifique sacrifícios extremos.

O próprio Jesus nos revela como é dura a caminhada do cristão:

 

Vinhateiros homissidas

Vinhateiros infiéis açoitam os enviados do Senhor da vinha e, por fim, matam o próprio filho do Senhor.

     

 Leitura bíblica, (Bíblia CNBB, São Marcos,12):

1. Jesus começou a falar-lhes em parábolas: “Um homem plantou uma vinha, pôs uma cerca em volta, cavou um lagar para pisar as uvas e construiu uma torre de guarda. Ele a alugou a uns lavradores e viajou para longe.  
2. Depois mandou um servo para receber dos agricultores a sua parte dos frutos da vinha.  
3. Mas os agricultores o agarraram, bateram nele e o mandaram de volta sem nada.  
4. O proprietário mandou novamente outro servo. Este foi espancado na cabeça e ainda o insultaram.  
5. Mandou ainda um outro, e a esse mataram. E assim diversos outros: em uns bateram e a outros mataram.  
6. Agora restava ainda alguém: o filho amado. Por último, então, enviou o filho aos agricultores, pensando: ‘A meu filho respeitarão’.  
7. Mas aqueles agricultores disseram uns aos outros: ‘Este é o herdeiro. Vamos matá-lo, e a herança será nossa’.  
8. Agarraram o filho, mataram e o lançaram fora da vinha.  
9. Que fará o dono da vinha? Ele virá e fará perecer os agricultores, e entregará a vinha a outros.  
10. Acaso não lestes na Escritura: ‘A pedra que os construtores rejeitaram, esta é que se tornou a pedra angular.  
11. Isto foi feito pelo Senhor, e é admirável aos nossos olhos’?”  
12. Eles procuravam prender Jesus, pois entenderam que tinha contado a parábola com referência a eles. Mas ficaram com medo da multidão; por isso, deixaram Jesus e foram embora.  
13. Então, mandaram alguns fariseus e partidários de Herodes, para apanhar Jesus em alguma palavra.  
14. Logo que chegaram, disseram-lhe: “Mestre, sabemos que és verdadeiro e não te deixas influenciar por ninguém. Tu não olhas a aparência das pessoas, mas ensinas segundo a verdade o caminho de Deus. Dize-nos: é permitido ou não pagar imposto a César? Devemos dá-lo ou não?”  
15. Ele percebeu-lhes o fingimento e respondeu: “Por que me armais uma armadilha? Trazei-me a moeda do imposto para eu ver”.  
16. Trouxeramlhe uma moeda. Ele perguntou: “De quem é esta figura e a inscrição?”. Responderam: “De César”.  
17. Então, Jesus disse: “Devolvei, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus”. E estavam extremamente admirados a respeito dele.  
18. Uns saduceus, os quais dizem não existir ressurreição, aproximaram-se de Jesus e lhe perguntaram:  
19. “Mestre, Moisés deixou-nos escrito: ‘Se alguém tiver um irmão e este morrer, deixando a mulher sem filhos, ele deve casar-se com a mulher para dar descendência ao irmão’.  
20. Havia sete irmãos. O mais velho casou-se com uma mulher e morreu sem deixar descendência.  
21. O segundo, então, casou-se com ela e igualmente morreu sem deixar descendência. A mesma coisa aconteceu com o terceiro.  
22. E nenhum dos sete irmãos deixou descendência. Depois de todos, morreu também a mulher.  
23. Na ressurreição, quando ressuscitarem, ela será a esposa de qual deles? Pois os sete a tiveram por esposa?”  
24. Jesus respondeu: “Acaso não estais errados, porque não compreendeis as Escrituras, nem o poder de Deus?  
25. Quando ressuscitarem dos mortos, os homens e as mulheres não se casarão; serão como anjos no céu.  
26. Quanto à ressurreição dos mortos, não lestes, no livro de Moisés, na passagem da sarça ardente, como Deus lhe falou: ‘Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó! ’  
27. Ele é Deus não de mortos, mas de vivos! Estais muito errados”.  
28. Um dos escribas, que tinha ouvido a discussão, percebeu que Jesus dera uma boa resposta. Então aproximou-se dele e perguntou: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?”  
29. Jesus respondeu: “O primeiro é este: ‘Ouve, Israel! O Senhor nosso Deus é um só.  
30. Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com toda a tua força! ’  
31. E o segundo mandamento é: ‘Amarás teu próximo como a ti mesmo’! Não existe outro mandamento maior do que estes.”  
32. O escriba disse a Jesus: “Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: ‘Ele é único, e não existe outro além dele’.  
33. Amar a Deus de todo o coração, com toda a mente e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo, isto supera todos os holocaustos e sacrifícios”.  
34. Percebendo Jesus que o escriba tinha respondido com inteligência, disse-lhe: “Tu não estás longe do Reino de Deus”. E ninguém mais tinha coragem de fazer-lhe perguntas.  
35. Então Jesus tomou a palavra e ensinava, no templo: “Por que os escribas dizem que o Cristo é filho de Davi?  
36. O próprio Davi, movido pelo Espírito Santo, falou: ‘Disse o Senhor ao meu senhor: Senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos debaixo dos teus pés’.  
37. Se o próprio Davi o chama de ‘senhor’, como então ele pode ser seu filho?” E a grande multidão o escutava com prazer.  
38. Ao ensinar, Jesus dizia: “Cuidado com os escribas! Eles fazem questão de andar com amplas túnicas e de serem cumprimentados nas praças,  
39. gostam dos primeiros assentos na sinagoga e dos lugares de honra nos banquetes.  
40. Mas devoram as casas das viúvas, enquanto ostentam longas orações. Por isso, serão julgados com mais rigor.  
41. Jesus estava sentado em frente do cofre das ofertas e observava como a multidão punha dinheiro no cofre. Muitos ricos depositavam muito.  
42. Chegou então uma pobre viúva e deu duas moedinhas.  
43. Jesus chamou os discípulos e disse: “Em verdade vos digo: esta viúva pobre deu mais do que todos os outros que depositaram no cofre.  
44. Pois todos eles deram do que tinham de sobra, ao passo que ela, da sua pobreza, ofereceu tudo o que tinha para viver”.

      ————

A parábola da vinha faz referência a ação de Deus na história do povo de Israel e indica o caminho do cristão, no mundo. 

Não nos enganemos!… A missão é espinhosa … Jesus é o exemplo a seguir. 

Através de Jesus Cristo, o ser humano é usado por Deus para resgatar o gênero humano. 

O missionário de Jesus precisa estar unido ao Espírito de Cristo para realizar a missão. A missão é trabalho de Deus. Não, de homem. Por isso o missionário precisa ser humilde e obediente à vontade de Deus, viver constantemente em oração, ligado a Cristo, para   ter êxito. 

Dotado de inteligência e liberdade o ser humano nem sempre está disposto a aceitar a mensagem trazida pelo missionário, principalmente se a mensagem exige mudança de hábito e renúncia de valores. 

Fora de Deus, o mundo escolhe seus deuses e o ser humano também tende a assumir o lugar de Deus.

Em tais circunstâncias, o trabalho do missionário pode exigir sacrifícios extremos para testemunhar em favor de Deus, como fez nosso Salvar Jesus Cristo.

Como recompensa, Deus dá ao fiel missionário grande consolação: Jesus estará sempre ao lado daquele que trabalha na vinha do Senhor. E esta consolação, não tem igual, fortalece o coração e cobre de bênção o fiel, garantindo-lhe a ressurreição gloriosa em nosso Senhor Jesus Cristo, no dia final.

É a promessa do Deus Único, Santo e Verdadeiro!…

 
 
 (Em edição)


Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.