QUESTÃO 242 – YOUCAT: POR QUE SE DEVE A IGREJA PARTICULARMENTE INTERESSAR PELOS DOENTES?

(Em edição)

YouCat responde: “Jesus mostra-nos que o Céu sofre quando sofremos. Deus até quer ser reconhecido no ‘menor dos irmãos’ (Mt 25,40). Por isso, Jesus determinou o cuidado pelos doentes como tarefa central dos Seus discípulos. Ele exortou ‘Curai os doentes!’ (Mt 10,8) e prometeu-lhes poder divino : ‘Em Meu nome, expulsarão demônios … Imporão as mãos aos doentes e os doentes ficarão curados.’ (Mc 16,17 ss.) [1506, 1510]“.  

E continua: “Sempre foi uma característica decisiva do Cristianismo estarem no centro os idosos, os doentes e os portadores de deficiência. Madre Teresa, que acolheu os moribundos das valetas de Calcutá, é apenas uma na longa cadeia de cristãs e cristãos que efetivamente descobriram nos que foram excluídos e evitados. Se os cristãos fossem realmente cristãos, sairia deles uma força que cura. A alguns é mesmo dada a possibilidade de curar outras pessoas corporalmente, na força do Espírito Santo (> Carisma da cura). 

“Mesmo o pior dos mundos cristãos, preferiria eu ao melhor dos pagãos, porque no mundo cristão há lugar para aquele a quem nenhum mundo pagão deu lugar: para desfigurados e doentes, idosos e fracos; e para eles há algo mais que lugar: amor para os que pareciam e parecem inúteis aos olhos do mundo pagão e irreligioso”. Heinrich Böll, (1917-1985, escritor alemão). 

“O cuidado pelos pobres deve estar antes de tudo e acima de tudo. Devemos serví-los como se realmente fossem Cristo.” São Bento de Núrsia. 

 

A_crianca_doente_edvard_mun

http://www.portalmedico.org.br/ biblioteca_virtual/belas_artes/cap3.htm A Criança Doente (1886).Edvard Munch (1863-1944). Óleo sobre tela, 119.5 x 118.5cm. Galeria Nacional ( Oslo)

 

REFLEXÃO

Não podemos nos enganar, a preferência da Igreja de Cristo pelos pobres, doentes e desprezados, deste mundo, quer significar claramente o estado de miséria em que estamos todos mergulhados; e, também, a grande importância do plano de Deus para a nossa salvação, por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Brotamos das mãos de Deus, criaturas perfeitas, queridas e abençoadas porém, desviados, somos historicamente lugar da desobediência, hospital da desgraça, da descrença. da doença e da morte; somos também, por isto, objeto e lugar da atenção, da misericórdia e da graça de Deus, pois, felizmente, Deus não Se permitiu abandonar-nos, entregues a nós mesmos, em nosso infortúnio. É pela graça, pela fé em Jesus Cristo, que somos por Deus alcançados, curados, colocados de pé, dignamente, diante das potestades de todos os tempos e de todos os mundos, como filhos queridos, herdeiros da glória eterna, conforme a vontade d’Aquele que tudo criou e detém o eterno poder de criar.

Somos todos doentes, deficientes físicos e espirituais, das enfermarias do mundo porém, detentores da esperança da cura, da libertação e salvação eterna, em Cristo Jesus; e a santa Igreja há de ser lugar de salvação de todos os males da criatura humana, pois Jesus deu o exemplo: “… teus pecados te são perdoados,… toma teu leito e vai para tua casa..”  

Não há maior alegria do que sermos libertos de todas as nossas mazelas e readmitidos no convívio amigo da gloriosa Casa do Pai.

“… Estais curado, filho!… volta, vem para casa!… pois não é de hoje, faz tempo, estamos todos ansiosamente esperando por você! …”

Ó dia venturoso, cheio da graça de Deus, aquele da chegada de Jesus ao nosso meio para nos resgatar!

É como sair de uma penitenciária de segurança máxima, do diabólico império da violência e da morte, para o gozo feliz do lar primeiro, cujas saudades rasgaram-nos o interior, por tantos e mal visto pôres-de-sol, apenas avistados e pressentidos através da vergonhosa dureza das muralhas e dos vergalhões impostos pelo inimigo de Deus.



Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.