QUESTÃO 30: PORQUE CREMOS EM UM SÓ DEUS?

<PRIMEIRO CAPÍTULO> 
Creio em Deus Pai.QUESTÃO 30: PORQUE CREMOS EM UM SÓ DEUS”?


Youcat responde: “Cremos em um só Deus porque, segundo o testemunho da Sagrada Escritura, há um só Deus, e também porque, segundo as leis da lógica, só pode haver um. [200-202,228].”
E continua: “Se houvesse dois deuses, um seria a fronteira do outro. Nenhum dos dois seria infinito; nenhum, perfeito. Portanto, nenhum seria Deus. A experiência fundamental de Deus feita por Israel, está assim expressa: Escuta Israel! O Senhor nosso Deus é único (Dt 6,4). Os Profetas exortavam continuamente a deixar os falsos deuses e virar-se para o único Deus: Eu sou Deus e mais ninguém” (Is 45,22).
“O Senhor nosso Deus é único Senhor: amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças. Mc 12,29-30.”
“MONOTEÍSMO (gr. monos=único, theos=Deus, doutrina sobre a existência de um único Deus)
Doutrina sobre Deus enquanto Ser único, absoluto e pessoal, o único fundamento de tudo. As religiões monoteístas são o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo.”
REFLEXÕES

Pintura “Deus Pai” do mestre italiano Pier Francesco Mola

Abraão visitado por Anjos http:// deniseludwig. blogspot. com.br/2013/09/pinturas-de-abraao-e- o-estilo barroco.htm

 

 

 

 

 

 

 

 

Deus É Aquele que É!… Ele É… e pronto!…

Não pode haver meio termo, não há mais o que acrescentar, porque Ele é único e excludente. Por isso, podemos dizer que negar a unidade de Deus significa negar o Deus Verdadeiro. 
Ser único e excludente, não quer  dizer ser ciumento, antidemocrata, individualista e ditatorial. Ele é excludente porque é Deus, e Deus é assim, infinito, incomparável, insubstituível, onipotente, onisciente, onipresente… Sendo Deus o que É, não há como ser diferente. Se fosse diferente, deixaria de ser Deus Verdadeiro, pertenceria ao rol dos deuses falsos, seria mais uma obra do inimigo de Deus ou próprio inimigo fazendo-se de Deus.  Pode, por acaso, a mãe gerar e dar à luz um filho e, depois, sair dizendo: eis aqui um filho de minhas vizinhas ou, eis aqui uma filha formada no ventre da minha comunidade ou, um produto das minhas entranhas democráticas?… Estaria ela faltando com a verdade… E olhem que um filho, a ser gerado nas entranhas da mãe, ainda depende da contribuição de um Pai terreno e, acima de tudo, de um Pai Deus, o único que pode dar vida e santidade a todas as coisas. E como seria, para um filho, sair do ventre de sua mãe e ser obrigado considerar mãe uma comunidade inteira de mulheres? Seria um filho infeliz, dividido, despersonalizado e confundido em sua própria origem. Este, seguramente, não é projeto de Deus.

Assim, caros irmãos, leitores, podemos cantar, com alegria: Aleluia (Glória a Deus)!… Temos um Deus Pai que é único e infinito, porque é Deus Verdadeiro, porque criou  e conserva todas as coisas e porque é Pai e nos ama, não abre mão de Sua responsabilidade.
Aleluia, meus irmãos!…O pai Abraão é a grande janela aberta para o céu, para o entendimento, a aceitação e a vivência dos mistérios do Deus único. A janela das promessas, dos ensinamentos e das realizações de Deus, no meio do povo. Parece que Deus esperou o tempo certo, tempo do amadurecimento dos frutos de sua vinha. Tempo no qual o ser humano tornou-se habilitado, pronto. E Abraão é o mais suculento dentre estes frutos da vinha do Senhor. Deus o percebeu e suscitou nele um homem de fé inabalável, capaz de se desprender da quietude dos deuses de seus ancestrais para aventurar-se aos dinâmicos desígnios do Deus único e verdadeiro, articular, seguir e até questionar e negociar com com Ele.

Ó meu Deus, como eu quero crer para ver e seguir Vossos caminhos, mesmo que precise, como Vosso servo Abraão, deixar para trás o mesmísmo insignificante de mim mesmo; carregar, mundo a fora, sobre ombros carregados de idade o Vosso fardo glorioso que me assegurará a graça e a bênção de Vossa agradável presença e companhia, por todos os meus dias e por toda a eternidade; Senhor, se Vosso servo Abraão pôde, porque não poderei eu?…
Deus inspirou a Abraão para empreender uma busca, implantou nele uma inquietação. Tocou-lhe o coração e Abraão respondeu: Senhor, aqui estou!…
Abraão representa o pedaço de terra fértil onde Deus plantou sua vinha mais frondosa. Aquela vinha cujos ramos haveriam de se estender pelos séculos e produzir o fruto de salvação da humanidade, Nosso Senhor Jesus Cristo.Porque nosso Deus é único podemos amá-lo com todo o nosso ser. 
Se houvesse dois deuses, possivelmente, estariam digladiando-se. Não seria possível amar a um deles com todo o ser sem desagradar o outro. 
No Evangelho, Jesus afirma que é impossível ao homem servir a dois Senhores.
Estes deuses certamente seriam ciumentos na defesa de sua parte no coração do ser humano. Isto seria um desastre…
O mandamento teria que ser assim: “Amarás ao deus “A” com 40, 50…% e ao deus “B” com 60, 50…% do teu ser. E não poderás amar a ninguém mais, além destes dois.”
Felizmente, o Senhor é único. E minha integridade está mantida. Não haverá divisão em meu coração.



Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.