QUESTÃO 316 – YOUCAT: COMO SE DISTINGUEM OS PECADOS GRAVES (MORTAIS) DOS PECADOS LEVES (VENIAIS)

(Em edição)

QUESTÃO 316: COMO SE DISTINGUEM OS PECADOS GRAVES (MORTAIS) DOS PECADOS LEVES (VENIAIS)

YouCat responde: O pecado grave destói, no coração de uma pessoa, a força divina do amor sem a qual ela não pode ser eternamente feliz. Por isso, também é chamado “pecado mortal”. O pecado grave rompe com Deus, enquanto os pecados veniais apenas agravam a relação. [1852-1861, 1874].

E continua: Um pecado grave aparta o ser humano de Deus; tal pecado está relacionado com um valor significativo, isto é, dirige-se contra a vida ou contra Deus (por exemplo, o homicídio, a blasfêmea, o adultério etc.) e é cometido com total conhecimento e consentimento. Os pecados veniais estão relacionados com valores subordinados (a honra, a verdade, a propriedade etc) ou não ocorre com total conhecimento do seu alcance ou com total consentimento; estes pecados perturbam a relação com Deus, mas não nos separam d’Ele.

Pecados-Veniais-14

Uma frase, um ensinamento, de São João da Cruz.

Citações:

  • Só quem seriamente ponderou quão pesada é a cruz pode conceber quão pesado é o pecado. Santo Anselmo de Cantuária.
  • Acabei de produzir uma cinza preciosa: queimei uma nota de quinhentos euros. Pois! Isto é menos mau que cometer um pecado venial. São João Maria Vianney.

 

REFLEXÃO

“Quando um justo renunciar à sua justiça para cometer o mal e ele morrer, então é devido ao mal praticado que ele perece. Quando um malvado renuncia ao mal para praticar a justiça e a eqüidade, ele faz reviver a sua alma. Se ele se corrige e renuncia a todas as suas faltas, certamente viverá e não perecerá. E eis que a casa de Israel pretende que o modo de proceder do Senhor não seja justo! Não é acaso o vosso modo de proceder que é injusto? Assim, pois, casa de Israel, é segundo o vosso próprio proceder que julgarei cada um de vós – oráculo do Senhor Javé. Convertei-vos! Renunciai a todas as vossas faltas! Que não haja mais em vós o mal que vos faça cair.” (Ez 18, 26-30) 

 A Sagrada Escritura nos ensina que, neste mundo, quem se aventura por atalho criminoso peca mortalmente e se dá mal.  No ser humano, Deus ainda deposita Sua confiança mesmo que Sua criatura se torne vítima do pecado mortal. O pecado mortal não é o fim do pecador porque Deus sempre nos acena com o perdão, desde que reconheçamos nossa falta e confiemos no Seu amor. E não devemos esquecer que Jesus é a porta da ovelha perdida. 



Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.