QUESTÃO 42: PODE ALGUÉM ACEITAR A EVOLUÇÃO E SIMULTANEAMENTE CRER NO CRIADOR?

(Em edição)
Youcat responde: “Sim, a fé está aberta aos conhecimentos e às hipóteses das ciências naturais. [290-292]

E continua: “A teologia não tem competência científico-natural, nem a ciência natural tem competência teológica. A ciência natural não pode excluir dogmaticamente que na Criação haja processos orientados para um fim; por seu turno, a fé não pode definir como eles se concretizam no curso do desenvolvimento da Natureza. Um cristão pode aceitar a Teoria da Evolução como um modelo explicativo eficaz, desde que não caia no erro do evolucionismo, que vê no ser humano um produto casual de processos biológicos. A> EVOLUÇÃO pressupõe a existência de “algo” que se desenvolva. Nada é dito sobre o “onde” deste “algo”. De igual modo, a biologia não pode responder a perguntas a cerca do “ser”, da “essência”, da “dignidade”, da “missão”, do “sentido” e do “porquê” do mundo e do ser humano. Tal como o evolucionismo, num extremo, também o Cristianismo, no outro, é uma ultrapassagem de limites; os criacionistas tomam ingenuamente à letra os dados bíblicos (como a idade da terra e os seis dias da criação).”
Citações Youcat:
“EVOLUÇÃO (lat. evolutio = ação de desenrolar, desenvolvimento) trata da alteração formal dos organismos, ocorrida durante milhões de anos. Numa perspectiva cristã, a Evolução corresponde à Criação contínua de Deus, realizada através de processos naturais.”
“CRIACIONISMO (lat. creatio = criação) A concepção de que o próprio Deus, segundo o esquema do Livro do Gênesis, criou a terra por ação direta e de uma só vez.”
“Nenhum cientista dispõe de um só argumento […] com que possa contradizer uma tal hipótese [de um Criador]. Hoimar Von Ditfurth (1921-1989, cientista alemão).”
——————
CIC[290-292]: II. A CRIAÇÃO – OBRA DA SANTÍSSIMA TRINDADE

290) “No princípio, Deus criou o céu e a terra” (Gn 1,1). Três coisas são afirmadas nestas primeiras palavras da Escritura: o Deus eterno pôs um começo a tudo o que existe fora dele. Só ele é Criador (o verbo “criar” – em hebraico, ”bara” sempre tem como sujeito Deus). Tudo o que existe (expresso pela fórmula “o céu e a terra”) depende daquele que lhe dá o ser.

291) “No princípio era o Verbo… e o Verbo era Deus… Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito” (Jo 1,1-3). O Novo Testamento revela que Deus criou tudo por meio do Verbo Eterno, seu Filho bem-amado. Nele “foram criadas todas coisas, nos céus e na terra… tudo foi criado por Ele e para Ele é antes de tudo e tudo nele subsiste” (Cl 1,16-17). A fé da Igreja afirma outrossim a ação criadora do Espírito Santo: Ele é o “doador de vida” “o Espírito Criador” (“Veni, Creator Spiritus”), a “Fonte de todo bem.

292) Insinuada no Antigo Testamento [fca44], revelada na Nova Aliança, a ação criadora do Filho e do Espírito, inseparavelmente una com a do Pai, é claramente afirmada pela regra de fé da Igreja: “Só existe um Deus…: ele é o Pai, é Deus, é o Criador, é o Autor, é o Ordenador. Ele fez todas as coisas por si mesmo, isto é, pelo seu Verbo e Sabedoria”, “pelo Filho e pelo Espírito”, que são como “suas mãos”. A criação é a obra comum da Santíssima Trindade.

—————–

REFLEXÃO

Foto do vulcão que entrou em erupção no Chile www.cogumeloloouco.com

 

A natureza é obra das mãos do Criador. Todos estamos submisso a esta verdade, por mais que o vulcão da mente humana busque libertar-se destas amarras e lance fogo sobre a terra.


Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.