QUESTÃO 8: “COMO SE REVELOU DEUS NO ANTIGO TESTAMENTO”?

Cap. Segundo/YouCat:

“Deus aproxima-Se de nós, seres humanos.”

QUESTÃO 8/ YOUCAT: “COMO SE REVELOU DEUS NO ANTIGO TESTAMENTO”?

moises-sarca

Deus veio habitar no meio de nós.

Aqui, vale mencionar inicialmente o fato de Deus mesmo haver inspirado o ser humano a conhecer e cristalizar ensinamentos importantes a respeito de seu Criador.

Inspirado por Deus, o ser humano pode refletir a respeito de Deus e conhecer Seus desígnios.

É Deus lançando mão da razão humana e, paulatinamente, dando-se a conhecer à sua criatura.

No Antigo Testamento, Deus mostra-se como Aquele que criou o mundo por amor e permanece fiel ao ser humano, mesmo que este, pelo pecado, o renegue [54-64,70-72].

Já vimos (youcat/6):“para fazermos afirmações sobre Deus utilizamos imagens imperfeitas e noções limitadas”.

Youcat-8 conclui: “Deus deixa-se experimentar na história. Com Noé, faz uma Aliança para salvar todos os seres vivos. Chama Abraão para fazer dele “o Pai de um grande número de nações” (Gn 17,5) e nele “abençoar todas as nações da terra” (Gn 12,3). O povo de Israel, descendente de Abraão, torna-se sua especial propriedade. A Moisés Deus apresenta-Se nominalmente: O Seu nome misterioso, (…), muitas vezes pronunciado como “IAHWEH”, significa “Eu sou Aquele que sou” (Ex 3,14). Ele liberta Israel da escravidão no Egito, faz uma Aliança no Sinai e, através de Moisés, entrega-lhe a Lei. Repetidas vezes, Deus envia profetas ao seu povo, para o chamar à conversão e à renovação da Aliança. Os profetas anunciam que Deus fará uma nova e eterna Aliança, realizará uma radical renovação e uma definitiva redenção. Esta Aliança estará aberta a toda a humanidade.”

Uma reflexão

É manifesta a todos os que se dedicam ao conhecimento das Sagradas Escrituras a existência de uma cadeia de atuações que tem o objetivo de realizar o plano de Deus para resgate do gênero humano: Deus escolhe e inspira lideranças; os líderes testemunham, às vezes, com a própria vida, o mandato de Deus, e registram os fundamentos do Plano para instruir o povo; inspira também o povo a compreender e acatar os ensinamentos, que vão fazer parte de suas normas de vida, no dia-a-dia.

Não se trata de um crescimento retilíneo neste aprendizado. Há altos e baixos com frequentes reafirmações da Aliança. E há uma dificuldade permanente, enfrentada por Deus, nesta Sua irrevogável determinação de reconduzir o ser humano ao Seu convívio original: o povo, frequentemente, revelou-se infiel e, na chamada plenitude dos tempos, o próprio Filho de Deus menciona este fato, reconhecendo: “… é um povo de cabeça dura”.

Noite Feliz Natal

Deus veio habitar no meio de nós

 

Há dois mil anos, num momento grandioso da história do gênero humano, como que para revitalizar seu plano benfazejo, dar mais credibilidade a tudo o que já havia instituído e ensinado através de seus líderes, Deus cumpre a mais importante etapa: Erigiu-nos do seio da Santíssima Virgem Maria, nossa Mãe, Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

Deus demonstra-nos incansavelmente que não é um Deus solitário, sentado em uma poltrona, empunhando uma chibata. Ele é Deus na harmonia amorosa da Santíssima Trindade; é Deus solidário que dialoga, encoraja e suscita adesões, participações e faz alianças; é um Deus que escolhe o modo humano de ser, no mundo de Suas criaturas; é um Deus que nos preferiu alcançar a partir da humilde comunidade de Nazaré, quis ter uma família; é um Deus que escolhe discípulos colaboradores, funda Sua comunidade de fé (a Igreja) e quer reinar, operar e viver com amor, na eterna comunhão dos santos.  A cabeça (Cristo) e o corpo (a comunidade eclesial) constituem a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Obrigado Pai!… Obrigado Mãe!…



Pedro Furtado Leite Engenheiro Florestal aposentado.